Aguarde...

Bem-vindos Freguesia de Arrouquelas

História

O nome desta freguesia está intimamente ligado à origem da Feira de Rio Maior, tendo sido na então aldeia de Arrouquelas que foi instituída a primeira feira do concelho.

Após a dura e prolongada guerra da Restauração e consequente expulsão dos Espanhóis, os circuitos económicos portugueses encontravam-se gravemente afectados, desorganizando a vida agrícola e comercial de várias regiões. 

Era urgente que os novos centros populacionais ou antigos despertassem, contribuindo para o reequilíbrio económico do País.

Em muitos casos a mola impulsionadora foi a venda de novidades agrícolas atraindo mercadores de regiões próximas ou mesmo afastadas. Noutros casos foi a celebração de festas religiosas ou a obtenção de meios para erguer ou restaurar igrejas, capelas ou ermidas. 

É precisamente aqui que se enquadra a petição dos juízes da Irmandade de Nossa Senhora de Arrouquelas, no termo de Santarém, solicitando autorização para a criação de uma feira a 15 de Setembro, com o intuito de poderem completar a obra da igreja e adquirir ornamentos. O alvará foi concedido a 23 de Outubro de 1674. 

A feira de Arrouquelas durou ate 1739, data em que foi substituída nessas funções por Rio Maior, atendendo ao progresso então registado solicitou a D. João V alvará para a criação da sua feira, o que aconteceria logo no ano seguinte substituindo nessas funções a aldeia de Arrouquelas.

Joaquim Veríssimo Serrão, na sua “História de Portugal” fala nessa transferência para “Rio Maior que, graças à sua riqueza agrícola e à extracção de sal-gema, desde o início do século XVIII viu crescer o número de habitantes. O seu comércio aumentou com a feira franca transferida do lugar de Arrouquelas, a qual teve início de 14 a 16 de Setembro de 1740, ali se fazendo todo o género de mercancia”.

A freguesia de Arrouquelas, com sede na aldeia do mesmo nome foi criada por decreto de 19 de Fevereiro de 1962, depois de ser desmembrada da freguesia de S. João da Ribeira. Na “História de Rio Maior” é referida como a “última freguesia a ser criada (à data) no concelho de Rio Maior” sendo “constituída por uma grande aldeia do mesmo nome, cuja área confina, pelo sul, com o vizinho concelho de Azambuja. 

Dista 14 quilómetros de Rio Maior, tem igreja e festeja, a dia indeterminado, a Senhora da Encarnação. O total da populção da nova freguesia de Arrouquelas é de 774 habitantes, segundo os elementos de 1970”.

Em 1527, pelo “Cadastro da População do Reino” tinha apenas cinco vizinhos o que correspondia a uma população de cerca de vinte habitantes. Em 1708 a “Corografia Portuguesa” refere o lugar de “Arrouquelas com a sua ermida”. 

Em 1758, Carlos José de Moura, o vigário de S. João Baptista da Ribeira escreve nas suas “Memórias Paroquiais” que a “Ermida de Nossa Senhora da Encarnação fica ao pé do lugar de Arrouquelas e é da administração do povo”.

A data de construção da igreja não se encontra deviadamente esclarecida, havendo quem aponte o final da mesma para o ano de 1869, inscrição existente num relógio de sol que se encontra no recinto. 

No seu interior relevam-se os azulejos seiscentistas de algum mérito e a imagem de Nossa Senhora da Encarnação, oferecida pelos militares arrouquelenses que regressaram a salvo da 1.ª Grande Guerra Mundial.



Compartilhar titulo produto

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de utilização. Ao utlizar o website, confirma que aceita a sua utilização.